Objetivação do outro espaço-tempo

A luz de luz transporta informações activas do outro espaço-tempo mas, por agora, não conseguimos “medi-las” com os aparelhos deste espaço-tempo.

Uma vez que fazemos parte integrante do universo, somos forçosamente regidos pelas suas leis, quer pelas deste espaço-tempo quer pelas do outro espaço-tempo. Ora acontece que o outro espaço-tempo não pode ser estudado com toda a “maquinaria” que temos, pois foram desenvolvidas e concebidas para este espaço-tempo.

A luz de luz transporta informações activas do outro espaço-tempo, mas, como referi, os aparelhos existentes neste espaço-tempo não estão preparados para “medir” este tipo de informação.

Tendo em consideração esta limitação tecnológica, o estudo do outro espaço-tempo parece ficar limitado. Contudo, no meu parecer, a estratégia a utilizar no seu estudo passa por irmos ao encontro do desconhecido, aceitá-lo e trazê-lo à nossa realidade (que é uma gota de água no mar do Conhecimento) e depois estudá-lo tendo sempre presente a imensidão da nossa ignorância.

O único meio técnico que conheço neste espaço-tempo que permite objectivar a outra realidade, que tem sido ignorada, é a fotografia AD. Assim, através de fotografias AD, tiradas a pessoas e a tudo o que nos rodeia, podemos constatar que existe uma outra realidade e saber o que se passa no outro espaço-tempo.