A Luminoterapia e a medicina dos dois espacos tempo

A luminoterapia consiste no tratamento do ser humano com a luz.

Na medicina que pratico, que designo por medicina dos dois espaços-tempo, trato as pessoas com luz. Este tipo de luz tem o nome de luz de luz e é captada através de uma técnica fotográfica descoberta por Alain Masson, investigador francês com quem trabalhei na investigação e na prática clínica, cerca de uma década.

Desde tempos imemoriais que se fala de outra realidade, a qual nunca objectivámos, mas que muitas vezes se manifestou… É a essa realidade que me refiro quando falo do outro espaço-tempo.

Na minha opinião, esta técnica que pratico é uma continuação lógica da medicina: actua no ser humano, desbloqueando o que impede o funcionamento harmonioso dos mecanismos de auto-cura.

Na maioria dos casos, o que bloqueia o bom funcionamento dos mecanismos de auto-cura são as memórias.

Neste contexto, as memórias são todas as situações mal vividas (traumatizantes) de um passado recente ou remoto que não foram bem integrados no corpo físico, mental, emocional e energético da pessoa.

Em muitas das abordagens utilizadas no tratamento do ser humano, o que se trata são os sintomas e não a causa da doença, pelo que pode desaparecer a doença que se manifestou nesse momento, mas o que a provocou continua activo, podendo os sintomas voltarem a aparecer da mesma forma ou, então, de formas diferentes.

Na medicina dos dois espaços-tempo, o ser humano é abordado e tratado, tendo sempre em consideração as duas realidades: o espaço-tempo das formas, aquele que vemos; e o outro espaço-tempo, o que não vemos mas que se manifesta.

As memórias, de que falei anteriormente, estão inscritas no outro espaço-tempo e, só quando actuamos a esse nível, é que podem ser tratadas profundamente.